A origem do rock na Bolívia



08 Agosto 2013

por Fernando Rosa

Apesar de pouco conhecido, o rock boliviano também registrou uma intensa e surpreendente produção nos anos sessenta e setenta. Inicialmente, assim como em todo o mundo, os grupos lcançaram, em diversos casos, sucesso junto ao público local, baseados em "covers" de artistas ingleses e americanos, especialmente. Na virada da década, assim como em outros países, alguns grupos promoveram a fusão do hard-progressivo com influências do folclore regional.

A primeira fase do rock, em meados dos anos sessenta, foi marcada pela existência de "clube jeveniles", que promoviam festas. Os mais destacados foram Los Gay Pal’s Splendid, Haraganes, Dangerous, 508 Miraflores, Los del Pueblo, Los Feos e Los Botones, segundo matéria do jornal La Razón, de La Paz, publicada em 2004. O clube Los Botones, por exemplo, levou até La Paz os grupos Los Iracundos e Los Shakers, ambos do Uruguai, com grande sucesso nos países de língua espanhola.

Um dos primeiros marcos da história do rock boliviano é o lançamento do primeiro compacto do grupo Orquesta Lyra, em 1963, que inaugurou a “Nueva Ola” no país. Outro destaque entre os pioneiros do rock da Bolívia foi o grupo Los Bonny Boys Hots, que iniciou a carreira no final dos anos cinqüenta, ainda na fase do rock instrumental. The Black Byrds, por sua vez, carrega a fama de ter sido a primeira banda boliviana a trocar a “Nueva Ola” por novas sonoridades psicodélicas e elétricas.

Um dos grupos mais importantes da história do rock boliviano foi Los Grillos, antes Los Crickets, que cruzaram os anos sessenta e setenta, com reconhecimento além das fronteiras do país. Também destacaram-se outros grupos como Los Loving Darks, Los Dhag Dhags e Los Ecos. Entre os grupos da segunda fase, os grandes destaques foram os grupos Climax, que avançou do hard-rock para o pro-folk-psicodélico no início dos anos setenta, Wara com o disco "El Inca", um dos grandes clássicos do rock do país, 50 de Marzo e Estrella de Marzo.

Atualmente, duas coletâneas servem como introdução ao rock boliviano, ambas produzidas e lançadas na Colômbia, uma delas contendo os principais grupos desde os anos sessenta até hoje. "Psicofasicos De Bolívia - Go-Go a 4 000 Metros!", editada pelo selo Discos del Condor, em 2003, traz o lado "pebble" do rock boliviano, com 14 músicas lançadas entre 1967-1969. Outro lançamento fundamental é "40 Años de Rock Boliviano", lançado em 2006, que reúne um livro e 4 cedês abrangendo todas as fases do rock do país.









Na foto: Wara.






POSTADO EM: /ArqSenhorF